Sara dos Santos Mota (UFSM)
RESUMO

Este trabalho propõe-se, tendo como pressuposto teórico Os Estudos Enunciativos, a identificar as perspectivas reveladas pelos falantes da fronteira ao enunciarem nas e sobre as línguas que configuram o espaço de enunciação fronteiriço. A fronteira na qual centramos nosso trabalho é a região formada pelas cidades gêmeas Rivera e Livramento (Uruguai-Brasil), delimitadas apenas por uma linha imaginária que supostamente marca a divisão política entre os dois países. No território fronteiriço, a relação cultural, social e comercial entre seus habitantes é muito estreita, possibilitando que circulem livremente entre as duas cidades, sem haver nenhum impedimento legal ou geográfico. Determinados por essas relações, inscrevem-se os falantes da fronteira e suas línguas. Para que possamos definir os pontos de vista a partir dos quais as Línguas de Fronteira significam nesse contexto, abordaremos algumas noções como as de Espaços de enunciação e Espaço de Enunciação Fronteiriço, assim como as de Locutor e Enunciador.

PALAVRAS-CHAVE: Espaços de Enunciação, Línguas de Fronteira, Enunciador fronteiriço.

Acesse aqui o artigo.