RAGO, Elisabeth Juliska. A construção da ‘natureza feminina’ no discurso médico. Rev. Estud. Fem. , Florianópolis, v. 10, n. 2, 2002 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2002000200019&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 05 July 2008. doi: 10.1590/S0104-026X2002000200019

Resenha para Uma ciência da diferença: sexo e gênero na medicina da mulher. ROHDEN, Fabíola. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2001, 223 p.

Fragmento:
Produto de uma tese de doutorado em Antropologia Social, o livro de Fabíola Rohden analisa a temática da diferença sexual nos escritos médicos do século XIX e início do século XX, a partir das representações, das imagens que estão na base da criação da medicina da mulher. Inicialmente, diz a autora, a investigação visava a produzir uma história sobre a sexualidade e a reprodução. O exame da documentação, entretanto, revelou que, “em boa parte do século XIX especialmente, a medicina da sexualidade e reprodução era a medicina sobre a mulher, expressa sobretudo na criação de uma especialidade, a ginecologia, que se definia como ‘a ciência da mulher'” (p.31).